Déficit Habitacional… será? Bolha imobiliária…

Os interessados dizem que existe um défict habitacional no Brasil de aproximadamente 5,6 milhões de residências. Eu estava lendo o jornal (Brasil Econômico) estes dias e vi um relatório do senso de 2010 do IBGE. Os dados chamam a atenção porque mostram a renda média dos Brasileiros.

Brasil: homens, R$ 963,65 e mulheres, R$ 559,85.
Zona Urbana:
Homens: R$ 1.072,35
Mulheres: R$ 613,36

Zona Rural:
Homens: R$ 412,34
Mulheres: R$ 227,23

Se existe mesmo um défict habitacional, como um brasileiro normal pode adquirir um imóvel de R$ 500.000 com essa renda? Deve existir alguma mágica… Qual a parcela da população que ganha estes salários? Imagino, que este número sendo uma média, mais de 5,6 milhões de brasileiros ganham esse salário para viver e sustentar suas famílias e ainda comprar um imóvel para morar.
Onde os brasileiros que estão incluídos nesse défict habitacional moram atualmente?
Como a quantidade existente de imóveis em oferta para venda e para aluguel só aumneta? O número de imoveis vazios é enorme.
A renda do brasileiro não é compatível com os preços. Os imóveis ofertados não é compatível com o cliente potencial.
E uma pergunta fora do contexto, mas dentro do pensamento: quantos brasileiros tem o nome listado no Serasa, não qualificando para empréstimos?
Só para terminar, como eles chegam neste número de 5,6 milhões de residências é o número do déficit, com uma família média de 4 pessoas, falamos de 22,4 milhões de brasileiros. Sem falar que este número é usado desde os anos 80… hummmmm… Alguém sabe como eles calculam isso?

This entry was posted in Mundo estranho and tagged , . Bookmark the permalink.

17 Responses to Déficit Habitacional… será? Bolha imobiliária…

  1. Excelente reflexão amigo, o cenário que para mim se desenha e de uma crise imobiliária sem precedentes, orquestrada por construtoras e investidores sem escrúpulos; os quais já lucraram muito, graças a um governo conivente com essas praticas de mercado predatórias, as quais vão empurrar o país para um atraso gigantesco, talvez de décadas, assim como na Europa e EUA onde se estima que se perca uma década inteira para voltar a crescer, e lamentável que poucos tenham causado isso a muito.

  2. J.R. Vensan says:

    Intrigante mesmo, Ricardo, porque em meio aos dados do Censo publicados pelo IBGE está o de que a porcentagem de famílias com renda mensal superior a R$ 15 mil (que em tese seriam o público alvo para imóveis de 500 mil) é menos do que 0,2%, o que arredondando para cima dá 400 mil famílias.
    Bom, como costumo dizer, a estatística é uma ferramenta que pode ser usada para provar qualquer coisa, basta escolher bem o universo da amostra.
    Abraço
    JR

  3. Luiz says:

    Eu sei como eles calculam isto, dá um apreguiça danada desenrolar esse nó.
    Vou direto ao ponto: o calculo é falho.
    Eu mesmo calculei com base no IBGE 2010 que acabou de sair, e tivemos apenas 1 milhão de pessoas novas por ano, nos utlimos 8 anos que passaram a receber acima de 5 mil reais, mais da metade destas não fica entre 5 mil e 6 mil. Deste numero divide por 3 pra ver o numero de casas

  4. Ricardo,

    Uma fonte para essa sua dúvida pode ser o documentário disponível no Youtube com os resultados do Censo 2.000 (isso mesmo, 2.000), com informações tão intrigantes quanto suas dúvidas.

    Está dividido em três partes, disponíveis nos links abaixo:
    Parte 1: http://www.youtube.com/watch?v=NiiCEyWyrBA
    Parte 2: http://www.youtube.com/watch?v=fqoip6Hhj1s
    Parte 3: http://www.youtube.com/watch?v=YwbhX2R4yyo

    Grande abraço de Joinville

  5. Pedro says:

    Colegas do blog,
    Leiam este importantíssimo estudo sobre o déficit habitacional, elaborado por pesquisadores da Unicamp, o qual desmascara a mentira estatística que foi inventada para criar o número falso do déficit habitacional brasileiro. Descobri este artigo pois fiquei desconfiado do argumento dos que defendem a inexistência de bolha de que o déficit habitacional no Brasil é de 6 milhões de moradias. A minha desconfiança aumentou mais ainda quando o censo divulgou que existem mais domicílios vagos no Brasil do que os necessários para cobrir o déficit. Daí descobri o seguinte artigo DÉFICIT HABITACIONAL, FAMÍLIAS CONVIVENTES E CONDIÇÕES DE MORADIA – JOSÉ EUSTÁQUIO DINIZ ALVES E SUZANA CAVENAGHI – http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/outraspub/Demographicas3/demographicas3artigo9_257a286.pdf
    Leiam e reflitam. Estatísticas são facilmente manipuladas para chegar a conclusões que distorcem a realidade.

  6. tom says:

    Meus caros

    A minha teoria é de que existem vários “Brasis”

    Existe realmente uma parte do Brasil no déficit habitacional – no outro Brasil, o mercado está aquecido.

    O mercado aquecido está atendendo somente a demanda daqueles que não entram na estatística do déficit habitacional(já tinham casa, moravam com pais, se casaram, etc)

    os que estavam nas estatísticas do déficit habitacional continuam na mesma, e agora estão ainda mais longe de sair dessa estatística, com esses preços absurdos

  7. Diogo says:

    A questão da renda é impressionante mesmo. Com a minha renda posso financiar “somente” R$ 100 mil. Na minha querida cidade Paraguaçu-MG, de 20 mil habitantes, já tem terreno, vejam bem, terreno (pouco mais de 300 m²) sendo vendido a R$ 150 mil rsrs parece brincadeira. Logo se cria mais um benefício social: o Bolsa-Sem-Financiamento-Imobiliário.

    • mauricio says:

      deixa de ser chorão. isso dá “só” 500 reais o metro quadrado! aqui no interior de sc, numa cidade de 35k habitantes, terrenos a 1200 o metro quadrado, e se for um pouco maior, vi comprarem de 500 metros por 500 mil reais, uma verdadeira bagatela, já que saiu por “só” mil reais o metro quadrado!!!! (e voce ainda tem que pagar alguém pra tirar todo o mato que tem em cima dele)

  8. juliana says:

    interessante a matéria de hoje do valor econômico: “Gafisa calcula impactos das medidas para elevar resultado”
    redução das metas, fluxo de caixa negativo, “Empreendimentos não lançados ou cujos desembolsos estiverem em fases iniciais poderão ser cancelados quando não se encaixarem nos novos critérios”, revisão os custos das obras ….

  9. Luciano says:

    Déficit habitacional: entidades e movimentos sociais buscam solução para o problema

    Os números já foram maiores, mais ainda assustam. Segundo dados do último Censo do IBGE, faltam 5,8 milhões de domicílios para as famílias brasileiras. Embora a moradia seja um direito constitucional, esse contingente de pessoas sem um lar contradiz a premissa básica da nossa dignidade. Por outro lado, os esforços do governo em estimular o setor produtivo e, simultaneamente, atender a essa parcela da população esbarram em uma série de entraves, especialmente quando o cenário são as grandes metrópoles, como São Paulo. Não há terrenos vagos.

    http://vergg.com.br/FDMACHADO/deficit-habitacional-entidades-e-movimentos-sociais-buscam-solucao-para-o-problema/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s