Para Paul Krugman, “com carinho…”

O problema dos Estados Unidos não é o teto da dívida federal, mas, a dívida em si. Não é existir um teto astronômico para se gerar uma dívida astronômica, mas a quantidade de dívida criada. Um governo emite moeda sem lastro, coleta impostos e emite dívida sem lastro, uma fórmula estranha. Emitir uma moeda de um trilhão, pode parecer brincadeira dele, mas, já está sendo feito, não em uma única peça, mas, já está sendo feito. O que confere o direito de um país, qualquer país, emitir dívida, emitir moeda e gastar colossais quantias em coisas que não revertem para um bem-comum? Mundo estranho esse. Imaginem se cada um de nós tivesse esta possibilidade, consumir, consumir, gastar e pagar com dinheiro feito na sala do fundo com uma boa impressora… E ainda contrair dívidas emitindo títulos negociáveis para levantar mais dinheiro que faltou? Se as empresas e as pessoas pudessem fazer isso… E a forma do pagamento disto tudo será o imposto que as pessoas pagam ao movimentarem a economia. A conta não bate e não vai bater nunca se continuarem com isso. Desta forma, o sr. Krugman, prêmio Nobel de economia de 2008 está batendo na mesma tecla de todos, na tecla da cortina de fumaça. O problema é a dívida e não o teto da dívida… Da mesma forma que o modelo de crawling peg dele para os regimes de taxa de câmbio não deram muito certo… O que precisa crescer é a economia americana e não o teto da dívida.

This entry was posted in Mundo estranho and tagged , , , . Bookmark the permalink.

4 Responses to Para Paul Krugman, “com carinho…”

  1. mauricio says:

    o que comprova que pessoas que concordam e/ou lêem krugman e afins e dão suporte a essa idéia insana da moeda de platina de 1 trilhão não possuem a menor capacidade de raciocínio lógico:

    ao invés de 1 trilhão, por que não fazer uma moeda de 16 trilhões e quitar a dívida? melhor ainda, que tal 1 quadrilhão de dólares encravado em uma moeda, que não só daria pra quitar a dívida dos eua, como também daria pra bancar investimentos totais durante vários anos?

  2. Ricardo BM says:

    Isso me traz a mente a imagem do mundo como um país, o EUA é o governo e os países as pessoas e empresas que um dia aceitaram (ou foi imposto) que o dolar seria a moeda de troca entre elas, e com essa dívida do “governo” as “pessoas” pagam os “impostos” através da inflação.
    É de conhecimento geral que o valor das commodities dispararam nas últimas 2 décadas, porém tenho uma dúvida: esse aumento foi devido apenas ao aumento do consumo e limite de recursos e produção, ou é a “inflação” em dolar que se alastra pelo mundo? Ok, poderia ser a união de todos os efeitos, mas o que pesa mais?

    Que bom que você voltou a escrever com mais frequência,
    Abraço!
    Ricardo BM

  3. Anonymous says:

    … Um governo emite moeda sem lastro …

    Voce está enganado nesse ponto, pois os EUA é o ÚNICO país cuja moeda tem lastro. O Dollar está lastreado no PETRÓLEO, pois a quase TOTALIDADE do petróleo no mundo é vendida em DOLLAR. Quase todos os países precisam trocar mercadorias por DOLLAR para poder comprar petróleo. É injusto, mas é assim que o mundo tem financiado o deficit Americano.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s