Quem sou

Ricardo Della Santina Torres

Economista com especialização em mercados de capitais em Londres, Inglaterra, e  especialização em Negociações Internacionais. Com extensiva experiência de trading em mercados de capitais,  mercados de moedas e derivativos, hedging, construção e gestão de portfolios de investimentos internacionais, adquirida em mais de 20 anos como chefe de mesa de tesouraria,  trader, estrategista e diretor de área internacional de grandes bancos comerciais e de investimento, Société Générale de Paris, Crédit Agricole Indosuez, de Paris e Londres, Banespa  em Londres e Nova York, e Banco BMG e Crefisul (Citigroup) em São Paulo. Atualmente é diretor da Norfolk Advisors, consultoria de investimentos cross-border para fundos e hedge funds brasileiros e estrangeiros, construção de portfolios, consultoria em estratégias de hedging, de juros, de commodities e de câmbio. A Norfolk tem escritórios em São Paulo e Paris. Ricardo é professor de gestão de portfolios, finanças internacionais e mercados de capitais da BBS, Brasil e Angola, da Sustentare Escola de Negócios de Joinville e é gestor de clube de investimentos na Bovespa. Autor do livro “Norfolk 1910, a revelação da Ordem”, publicado em 2005 no Brasil.

65 Responses to Quem sou

  1. Shinya Jordão says:

    Serei um leitor atento e assíduo. A fonte, sei-o, é credível.
    O meu saber só chega para isso. Quem sabe daqui a 20 anos já poderei dar alguns palpites.
    Parabéns, um abraço Ricardo e desejo-lhe um ano fantástico.

    • tradingcafe says:

      Grande amigo Shinya! Que bom saber! mande notícias amigo. Estarei em Luanda em Março. abs

      • Maciel says:

        Ricardo,
        Um amigo meu gostaria de resgatar algumas letras do tesouro nacional (LTN). Voce conhece instituicoes financeiras ai no Brasil que facam isso? Se sim qual a taxa cobrada para adiantamento de 50% do valor do titulo?
        Desde ja agradeco sua ajuda.
        Ps. Nao sei como contacta-lo de outra maneira
        Maciel.

      • tradingcafe says:

        Bom dia Maciel, sim, negociar as LTN’s é bem simples. As taxas de corretagem são baixas e padronizadas e podem ser negociadas com corretoras e com as mesas de tesouraria dos bancos. Podemos também negociar diretamente com o Tesouro Nacional, dependendo do montante e da maneira que os títulos foram adquiridos (se através do site http://www.tesourodireto.gov.br) podem ser vendidos diretamente para eles. Se voces precisarem de ajuda, meu e-mail é ricardo@norfolkadvisors.com, eu conheço corretoras e os bancos e posso ajudar vocês. Abs

    • T.P. JOAO says:

      eu desejo tudo de bom para si. o ano passado só foi bom para mim devida as tuas aulas cheias de conceito sobre a e mensagens positivas

  2. Arao Samunda says:

    Caro Recardo, Oico falar muito de voce, ca em angola.
    Sou Geologo, com interece em financas….estarei sempre atento nos seus comentarios.
    porque ate estou a planear em fazer o meu mestrato pela BBS em angola em Financas e Negocios.

    • tradingcafe says:

      Caro Sr. Samunda, fico muito feliz em ouví-lo, espero conhecê-lo em breve. Eu estarei na bela Luanda em Março. Poderemos nos encontrar pessoalmente então. Enquanto isso, ficaremos em contacto pelo blog. Se houver alguma coisa que queira saber, é só perguntar! abraços, Ricardo

  3. Arao Samunda says:

    Caro Sr. Ricardo;

    Thas was quite fast responce, I must admit. what time might be there in Brasil by this time anyway?
    Sera possivel enviar-me um EMAIL por favor? Pretendo abordar com voce assuntos do Mestrado. Tentei enviar-te um email no seu email da terra.com.br e nao tive sucessos.
    Best Regards
    Arao Samunda

  4. Willy says:

    Voila, Ricardo ,
    Comme on dit en France ” Ce on veut survivre il fault anteciper en prenant des decision courageux et parfois unpopulaires. Estaremos sempre contribuindo e retribuindo a sua grande experiência compartilhando enquanto estivemos na BBS.
    Ganhamos todos especialmente nós que convivemos consigo!
    Nous sommes toujours là!!!!

    • tradingcafe says:

      Salut mon ami Willy! Ça me fait plaisir de recevoir tes commentaires mon ami, et, Oui, nos sommes et nous serons toujours là. Je suis tout a fait d’accord, Angola et aussi l’Afrique, en trai de croître sur des bases solides. Merci, pour tes commentaires et aussi pour l’amitié. Une très bonne année. Ricardo

  5. Willy says:

    Valeu Ricardo!!!
    Esta foi mesmo para abrir o ano.
    Estamos consigo no que der e vier.
    Um abraço

  6. Prof. Ricardo!
    Parabéns pela iniciativa.
    Seus posts snao fantásticos.

    Abrs e sucesso, Wilmar Cidral

    • tradingcafe says:

      Muito obrigado, meu caro amigo e professor Cidral. A idéia partiu de um grande amigo, de Joinville… Obrigado, pela idéia, pelo suporte, pelo incentivo e sempre, pela amizade que temos. Valeu!

  7. Alexandre Caputo says:

    Grande Mestre !!

    Seus comentários certamente serão de grande valia !! Lembro-me perfeitamente de suas aulas de Finanças Internacionais na BBS. Viva o Tricolor e Viva la Inter !! Abraços Alexandre Caputo

  8. Demetrio eremeeff says:

    Professor Ricardo !
    Parabéns pela sua linha de pensamento e suas idéias claras e convincéntes.!
    Concordo e endosso, embaixo, se permitir.
    Demetrio

  9. tradingcafe says:

    Muito obrigado Demetrio, vamos lá! Um abraço

  10. Roberto Paiva says:

    Prof. Ricardo,

    O Senhor , comentou em um de seus artigos que o momemto é de protecao do capital , neste caso investimentos em acoes de empresas como Gerdau, petrobras, Souza Cruz a medio e longo prazo nao seria uma boa opcao?
    E para uma liquidez mais imediata , uma aplicacao em produtos de Bancos como DI que protege se houver uma subida do juros nao seria uma boa opcao?
    Abracos,
    Roberto

    • tradingcafe says:

      Oi Roberto, as ações que vocè citou são boas alternativas somente se o preço que vc as adquiriu é bem abaixo do preço atual. Caso contrário, é importante obter proteção. atarvés da vendade contratos mini futuros do Ibovespa ou vendendo calls cobertos da Petro. Porem. o mercado já esta fraco entaõ e melhor observar os preços de entrada das posições para melhor administrar. Os fundos DI são uma boa alternativa mas observe a taxa de administração do seu banco, se for superior a 0.5% procure outra instituição. Abs

  11. Prof. Ricardo,

    Quero lhe Parabenizar pelos comentario e analise que tens feito
    principalmente sobre Angola.

    Es o meu Mestre, um exemplo a seguir. Foça.

  12. Adäo Serafim Pio says:

    Ricardo,
    Pretendo falar sobre “Constituiçäo de divida flutuante e fundadada para financiamento do Orçamento Geral do Estado”.

    Adao

  13. Caro Prof. Ricardo,

    Uma simples visita a seu site já foi elucidadora numa questão que está envolvendo a família, a venda de um imóvel urbano envolvendo outros imóveis na jogada.

    Parabéns pela “linha editorial” verdadeira, porém como dito em aula, sempre devendo procurar outras fontes. Porém, esta aqui não é patrocinada e tende a ser mais verdadeira.

    Um grande abraço de Joinville.

    • tradingcafe says:

      Caro Marcio, fico muito feliz com o teu comentário e com tua visita ao blog, partecipe sempre, a idéia do blog é justamente essa, um debate, a abertura de discussões e conversas sobre temas que concernem a todos nós. Um grande abraço, amigo.

  14. J.R. Vensan says:

    Ricardo “The Oracle” Torres.
    Kudos
    JR

  15. simone says:

    oi Sr Ricardo Adorei teus vídeos e tuas análises ….
    Sucesso pra vc e continue nos alertando da bolha ….
    bjs da tua admiradora Simone

  16. Ola Ricardo

    Estava vendo hoje no jornal os impactos da atividade do vulcão do chile em toda america do sul.
    Imagino que este tipo de caso deva gerar no mínimo uma análise muito interessante para você postar no blog.
    Quebra de safra na argentina, menor oferta de uvas menor atividade turística, contaminação do solo, tudo isso no curto prazo.
    No longo prazo as cinzas vulcânicas costumam gerar um solo muito fértil o que pode criar uma oportunidade de investimento (arriscada) mas interessante em toda esta região…
    Queria muito ouvir uma avaliação sua deste cenário

    Abs

    Rodrigo Costal

    • tradingcafe says:

      Oi Rodrigo, e também as quebras de safras irão acarretar mais preços altos para as commodities agrícolas que nós produzimos… Vou estudar, obrigado, amigo. abs

  17. Boa tarde Ricardo,

    Pela sua experiência que curso ou até livro pode acrescentar conhecimento na área econômica para alguém que está se formando em engenharia mas que pretende mesmo atuar no mercado financeiro? Preferencialmente na região de Porto Alegre, estava pensando em fazer algum mestrado na área de economia, mas estou procurando dicas de pessoas que já vivem no meio para saber qual pode ser mais rentável.

    • tradingcafe says:

      Oi Leo, benvindo ao trading café. Existem vários cursos que são bons para o conhecimento da economia, mas temos deficiência de cursos que sejam bons na área da economia aplicada, ou seja, as finanças. Depende muito da área de mercados financeiros que você tem intenção de atuar, para definirmos os estudos adequados. Como enegnheiro, supõe-se que você seja bom em matemática (se vc é um bom aluno… rsrsrsrs…), desta forma, sendo que a deficiência dos cursos de economia é a de não ter matemática aprofundada, vc tem uma vantagem para trabalhar em mesas de operações, com trading, modelagem, derivativos, operações estruturadas. A mente Cartesiana do engenheiro ajuda nesse sentido. Porém, a personalidade do indivíduo é muito importante na decisão, nem todo mundo, inteligente ou não, é talhado para ser trader. Existem os bancos comerciais, os bancos de investimentos, as corretoras, os fundos de investimento. Existem funções de “front office”, middle office, back office, gestão de fundos, private banking, fusões e aquisições, trading de moedas, renda varíavel, renda fixa… Dê uma olhada nos diversos segmentos para checar qual vc prefere e tem características adequadas para perseguir e me avise, posso te ajudar a escolher o curso e os estudos adequados para atingir teu objetivo. Abs

  18. Ok, pesquisarei sobre todas essas modalidades e depois me posiociono.
    Agradeço muito a atenção, abraço.

  19. Gianluca says:

    Olá professor, estava em discussão com um amigo sobre inflação. Caso é que considero como “ideal” inflacionário em uma economia estável a média de 2%, já este amigo, insiste em relutar, inclusive se apoiando em Mises, que o “ideal” é 0%, justificando que o aumento de salário é meramente uma “fantasia” usada para burlar o povo. Até certo ponto eu concordo, até criei uma frase que postei no pensador, que é a seguinte:

    “O aumento de salário é uma droga com efeitos alucinógenos utilizada no “tratamento” da inflação, cujo, principal efeito colateral é fazer as pessoas pensarem que DE FATO estão ganhando mais do que no último ano.”

    Gostaria de fazer duas perguntas, para sanar essa questão sobre inflação, de fato, o ideal seria 0% de inflação ? O senhor concorda com a frase que escrevi, ela possui embasamento ?

    Aguardo ansioso a sua resposta.

    Desde já meu muito obrigado. Estou divulgando o canal no Facebook.

    Gianluca F.

    • tradingcafe says:

      Oi Gianluca, obrigado. Nós sempre temos a tendência de “torcer” por qualquer coisa, nos envolvemos emocionalmente nas questões que discutimos. Não podemos fazer isso na economia mas fazemos. A opinião do seu amigo não está errada mas está repleta de torcida e opiniões políticas. Na economia, a máxima é: “O ponto de equilíbrio não é estático, mas sim dinâmico” (frase de Ricardo Torres). isso significa que não existe uma inflação ideal, o que existe, é uma inflação não ideal. A inflação não ideal é aquela de zero para negativo, e acima de 5% ao ano. Os dois extermos são muito nocivos à economia de um país. Entre 0,5 e 4% é aceitável e por vezes, saudável. Com relação a tua frase, pessoalmente, eu concordo integralmente e minha opinião pessoal, não de economista, eu concordo com a opinião do teu amigo quando o aumento de salário é de indexação, reajuste pela inflação. abs

  20. Gianluca says:

    Caro Ricardo, estava lendo um pouco de economia agora e vendo sobre as “dezenas” de impostos que estão sendo “impostos” aos europeus, sobretudo, aos italianos. Gostaria de saber se tais impostos seriam temporários, ou seja, com uma duração pré-determinada, (por exemplo: até o pagamento do excessivo da dívida soberana), ou se são permanentes, de tal forma, que permanecerão, mesmo após as coisas “se ajeitarem”.

    Grande abraço.

    • tradingcafe says:

      Oi Gianluca. Em países onde há um maior nível de educação acadêmica, as pessoas tem voz ativa. O povo reage e acompanha os atos do governo, e reclama quando as coisas não estão corretas. Eu já morei na Itália, na França, na Inglaterra, na Bélgica e nos Estados Unidos. Eu experienciei isto, os impostos podem subir por momentos de necessidades específicas mas o governo reduz os impostos quando a situação se normaliza porque o povo grita. Desta forma, os impostos vão subir agora porque é uma necessidade mas assim que as coisas se restabelecerem, os governos irão reduzir tudo para patamares mais aceitáveis. Não podemos esquecer que tudo isto é um refelxo dos erros dos americanos, na questão do subprime das hipotecas. Os governos tiveram que se endividar para resgatar o sistema financeiro, agora estão tendo que lidar com as responsabilidades desta dívida alta. Em 3 ou 4 anos, devemos ter um retorno à normalidade. abs amigo

  21. Olá Ricardo !
    Tudo bem ??
    Quando ao seu tópico de hoje sobre mercado imobiliário. A única notícia “relevante” que li recentemente é esta: http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2012/01/fgts-financiara-compra-de-material-de-construcao-aprova-conselho.html

    Nem sei se seria tão relevante assim também.🙂

    Abraços.

    • tradingcafe says:

      Oi (não sei o teu nome ainda…) Umpoucodeiluminismoporfavor (gostei!!), obrigado, é super relevante sim, denota a intenção do governo em manter o setor aquecido injetando mais recursos para uma população já saturada de ofertas de empréstimos… Eles deverima era liberar o fgts das pessoas e ponto final. Não emprestar o dinheiro a apenas 12% ao ano… Muito obrigado, valeu, abs

  22. Gianluca says:

    Olá Ricardo ! Antes de mais nada, boa semana !

    Não sei se você já leu alguns comentários de Thaìs Herédia, colunista de Economia do site G1.
    http://g1.globo.com/platb/thaisheredia/2012/01/16/europa-enfraquece-diante-do-risco/

    Posso estar errado, mas a vejo como uma grande sensacionalista, que gosta de “alarmar” em suas colunas. Claro que a situação é grave, realmente grave. Mas se você já conhecer as colunas da Thaís, você concorda comigo que são totalmente sensacionalistas ?

  23. Bruno Fr says:

    Olá Ricardo!
    Primeiramente bom dia e bom começo de semana.
    Conheci seu blog através de um vídeo com um titulo de grande destaque.
    “Como ficar rico” Confesso que procurava um tutorial em passos simples desenvolvido em etapas as quais dormiria, na classe media e acordaria com um mustang gt 500 parado em minha garagem.E quando digo “minha” seria apenas parcialmente verdadeiro, moro com meus pais,tenho 19 anos. na metade do ano de 2011, no segundo semestre da faculdade de direito, tive uma nova matéria na grade. e se chama econômia. A qual me despertou um interesse nunca visto antes, nunca fui atrás de nada, dormia nas aulas de colégial, ficava até tarde na internet, cerveja, cigarro etc, nunca fui nem próximo dos bons alunos. Entretanto desde o momento que me deparei com o momento de ter que trabalhar para pagar os estudos, namoro, roupas, ajudar em casa, acadêmia. Esse ano completo 20 anos, minha namorada e eu ja pensamos em casamento porem com os mil reais que ganho por mês não consigo nem mesmo manter o carro, e o namoro quanto mais morar juntos. Decidi que quero ser um investidor,muitos irão rir, porem e isso que quero e que preciso. Estou lendo How I Made $ 2,000,000 In The Stock Market por NICOLAS DARVAS. E possuo mais 8 livros que estou levando como base,Como How to Trade in Stocks por Jesse Livermore entre outros. Porem no meio de tantas analises, fundamentalistas, técnicas, abreviações, comportamentos, o “ombro cabeça ombro ” tendências,o homebroker, e tudo mais, e o pior,as estatísticas que 80% dos que ingressam na bolsa desistem nos 3 primeiros mêses, tenho 3 mil reais do ultimo emprego, os livros, e uma mala gigantesca de dúvidas e medos, e espero que possa ter alguem tão bem sucedido quanto o senhôr para me auxiliar. Bem desculpe o texto enorme e cansativo, e desde já agradeço.

    • tradingcafe says:

      Oi Bruno, obrigado e benvindo. Ficar rico da noite para o dia é o sonho de todos nós seres humanos (talvez menos os indianos… que acreditam no Karma…), porém, tem mais a ver com golpes de sorte em todos os sentidos. Porém, ficar rico “operando” a bolsa é uma raridade. Em geral, quem fica rico com a bolsa é quem vende parte de sua empresa na abertura de capital (faz um IPO…), de resto, é raro. Ficar rico com a bolsa é resultante de longevidade de investimentos e construção de riqueza ao longo do tempo. Não tem uma fórmula exata, olhar gráficos, escolher uma ação que vai dobrar de preço em pouco tempo etc. Veja, temps que começar de algum jeito, se você investe R$ 3mil e ganha 100% vc terá R$ 6mil somente, longe de estar rico… Porém, se vc consegue se formar, ter alguma idéia legal para montar um negócio que crie valor para vc e para o mercado, em pocuo tempo vc poderá ter uma fortuna em suas mãos. De outra forma, é a disciplina de investir todos os meses, construir um patrimônio ao longo de 20 anos e poderá se dar muito bem aos 39 anos de idade!!! Eu estou com 48 e te digo, a vida é boa e cuidando das coisas que realmente importam, de sua saúde, de vc mesmo, da sua família, vc terá muito anos legais a frente. Ter calma, disciplina e persistência! Lembre, uma boa idéia, que vire um negócio pode te trazer a riqueza. Além disso, estudar e aprender o máximo possível do máximo possível de coisas. Sem pressa, usando a cabeça. Tem um livro legal, chamado “Think and get rich” (pense e fique rico, em portugues) do Napoleon Hill, interessante de ler, vai firme e vc vai conseguir, vc tem a atitude certa e me parece ter o “drive” para conseguir, eu acredito! abs e boa sorte

  24. Gianluca says:

    Olá novamente caro Ricardo ! Eu aqui mais uma vez lhe tomando tempo heheh.

    Então amigo, estarei participando de uma conferência no Vale do Silício em 19 de Março, e gostaria de contar com sua opinião para estar comprando doláres, vejo que as tendências dos últimos dias estão sendo de queda, o que é uma boa para quem vai viajar, logo, gostaria de saber se você me indicaria comprar doláres por agora, aproveitando essa baixa, ou se a tendência para as próximas semanas é de que haja uma queda maior do dolár frente ao real. Resumindo a pergunta, compro doláres agora, ou alguns dias antes da viagem ? Abraços meu caro e muito obrigado.

    • tradingcafe says:

      Oi Gianluca, vamos lá, grande idéia, passear na California… Eu acredito que o dólar tem fraquezas estruturais que poderiam trazê-lo mais para baixo, quebrando o R$ 1,75 em direção ao R$ 1,70. Mas, se observarmos com clareza, o mercado não está olhando o macro, os dados fundamentais das economias para precificar as moedas. Desta forma, a suscetibilidade da cotação é relativa ao desenrolar da briga de gigantes entre euro e o dólar, nós vamos de quebra nessa briga… Então, comece a comprar agora, faça aos poucos, e se perceber que está mudando, o que é provável que aconteça entre agora e março (março é um mês de final de ano fiscal nos países asiáticos e mexe forte com os mercados). Eu acho ideal você inciar a comprar nesta faixa de R$ 1,73 a R$ 1,75 para se proteger. abs caro amigo

  25. Gianluca Ferro says:

    Olá Ricardo, já algumas semanas que venho lendo seu blog sem fazer perguntas rsrs, então, pra não perder o hábito e de quebra sanar uma dúvida. Vamos lá:

    Venho acompanhando as bolsas europeias já há alguns meses, e ultimamente principalmente após o inicio do ano tenho visto uma aparente melhora na saúde das bolsas, inclusive com uma leve recuperação do euro frente ao dólar, mas mesmo assim, diariamente ouço de economistas que a situação da Europa está a piorar, então me fica a dúvida, com o cenário atual e os andamentos para aprovação da ajuda à Grécia, pacotes de austeridades de Itália (lamento muito a queda de 0,7% do PIB italiano, ser patriota é uma droga rsrs) e também em outros países, enfim, com todas as medidas tomadas a situação ainda é de piora ? E o Euro, está com um risco maior de desaparecer desde o “início” desta crise européia ?

    Atenciosamente.
    Gianluca F.
    Abraços.

    • tradingcafe says:

      Cia Gianluca, ser patriota é que irá nos salvar um dia… eu sou, e vejo a mídia induzir as pessoas a falarem do que não conhecem. O Euro não vai desaparecer (opinião de economista) e a Itália vai se sair bem e fortalecida desta crise (opinião de economista e patriota, rsrsrs). O que estamos vendo é uma profecia auto-realizável, colocada em prática através da falta de regulamentação financeria nos mercados internacionais onde qualquer um pode “apostar” contra um país com os CDS’s, sem caixa, um grande cassino com cartas marcadas. A Europa vai se sustentar e o euro também. Isso não quer dizer que não precisávamos de ajustes, as coisas estavam mesmo bagunçadas por toda parte. Desta forma, teremos uma espécie de limpeza no sistema, rebooting…abs fratello

  26. Gianluca Ferro says:

    Olá grande Ricardo! Tudo bem?

    Meu caro, venho lhe com a seguinte dúvida. Sei que o fortalecimento excessivo do real frente ao dólar é um problema para a indústria brasileira, pois apresentamos produtos e custos em geral mais altos para exportação, logo, uma tendência de queda industrial. Segundo Mantega, sem as intervenções o dólar já estaria no patamar de R$ 1,40 e as indústrias quebradas, enfim, as leis de livre mercado não podem atuar livremente e acabamos em um governo protecionista. Mas eis a questão, é possível manter a economia em crescimento sem essas medidas intervencionistas? Outra questão a qual me pergunto é: Lembro que quando o Euro havia caído para 1,26 frente ao dólar, os alarmes eram como se isso fosse prejudicial para a Zona do Euro, mas enfim, assim como no Brasil, o Euro baixo, apesar de significar uma fragilização do mercado da zona do euro, não representaria uma oportunidade para maiores exportações, logo, maior oferta de postos de trabalhos, trocando em miúdos, nessa crise, a desvalorização do Euro não seria uma boa para zona do Euro?

    Muito obrigado pela paciência em me responder, há muita coisa “simples” na economia em que fico perdido! Digo “simples” porque não me arrisco as profundidades da Economia, mas apenas a parte superficial.

    Abraços.

    • tradingcafe says:

      Grande e caro amico Gianluca. Vamos lá: O câmbio conceitualmente é um reflexo da economia e das políticas monetários do órgão regulador desta economia. A taxa de câmbio é um reflexo das taxas de juros comparativas entre economias, aliada a credibilidade, a conversibilidade, o potencial de geração de riqueza futura do país, menos inflação, mais o resultado da base monetária (expansionista ou contracionista, oferta e demanda, impressão de moeda, etc). Desta forma, sim, com a diferença de taxas juros no Brasil e as do exterior, mais o potencial crescimento econômico do país, expansão de base monetária controlada (e que contém a inflação), mas com uma velocidade de circulação da moeda no Brasil espantosa (leia-se inflação real), que um estrangeiro não absorve porque consome lá fora e não aqui, atrai muito capital em busca de retornos líquidos. Uma coisa alimenta outra, pois, com a conjuntura acima, o ingresso de recursos força a cotação para baixo e junto com o retorno dos juros provém ganho duplo para os investidores estrangeiros. Sim, estaríamos até abaixo de R$ 1,40 sem as intervenções. Porém, o câmbio é uma derivada e não um fator. A indústria brasileira tem os custos muito altos e é isto que atrapalha a competitividade. Encargos sociais e impostos, custo de captação no mercado doméstico muito elevado. isso faz com a indústria brasileira trabalhe na maior parte dos casos com capital próprio, o que é relativamente positivo. Desta forma, a manutenção da lucratividade das empresas no Brasil depende de vários fatores e o câmbio é um deles. O efeito disso é que produzir no exterior é mais barato do que aqui… Com o câmbio baixo, fica mais fácil importar. Agora, porque o câmbio está baixo? Porque os erros estruturais da nossa economia não são atacados. Se o custo aqui fosse alto pelos altos salários, que gerariam uma melhor distribuição de renda para a população, ficaria fácil entender. Mas não é assim, os custos de produção são altos por impostos e taxas de juros altas… Daí temos dois efeitos sobre o câmbio: 1) Na economia e 2) na psicologia relativa economia. Na economia, gera estes trasntornos e expõe os errps estruturais, na psicologia, um dinheiro sobre-valorizado como o nosso, gera uma felicidade na população, uma sensação de poder de compra… aí, pegamos um avião e vamos consumir com preços realistas, nosso real super-valorizado de forma ilusória, em Miami… porque lá, e em outros tantos lugares, os preços não são inflados nem por custos, impostos, e nem por ganância excessiva. Como pode? tudo ser produzido mais barato fora do Brasil? Tem algo errado aqui e não é o câmbio, o câmbio só reflete abomináveis decisões macro-econômicas dos gestores. abs

  27. Gianluca Ferro says:

    Já em seguida a primeira pergunta, lhe deixo mais uma Ricardo!

    Discuto bastante com amigos da faculdade sobre a guerra liberalismo vs intervencionismo. A minha visão é a seguinte: O liberalismo é uma boa ideia, as lições de Mises, Hayek e afins são de fato muito racionais. O problema é que no ponto em que nos encontramos, isso não seria possível acredito eu! Pois há uma gama enorme de interesses por trás dos mercados. Por trás de cada intervenção por mínima que seja, há motivos que visam proteger algo, geralmente o mercado interno. Um exemplo que citaria são as últimas intervenções sobre o dólar aqui no Brasil, de acordo com o liberalismo deveríamos deixar as leis de mercado levarem o câmbio a seu favor, porém, não é isso que vemos, pois de trás dessa ideia há grandes interesses industriais, empresariais, acionistas, postos de trabalho, etc! Enfim, por esse pensamento de que o intervencionismo é um “mal necessário” e não uma opção, acabo sendo taxado como comunista, socialista, etc… O que de fato não sou, até mesmo me considero centro-direita.
    Então, acredito que nem o liberalismo nem o intervencionismo totalitário são as soluções, mas sim um meio termo entre os dois, um mercado “liberal” mas que depende necessariamente de algumas intervenções mínimas. Quando digo isso, geralmente a frase que escuto é: “O meio termo é o status quo da covardia”. Ou seja, não existe meio termo, ou você é liberal ou usa uma camiseta vermelha com a foto de Hugo Chavèz.

    Já fiz uma pergunta mais ou menos nessa linha aqui, mas esta está um pouco diferente, gostaria de saber sua opinião como economista. Você acredita que o liberalismo total (fim dos bancos centrais, ausência de estipulação de salário mínimo, câmbio à livre vontade dos mercados, etc), enfim, que isso tudo seria possível, ou são apenas utopias de mestres como Mises e aqueles que apenas repetem o que leem? Assim como eu, acredita que o mercado é um meio termo, com uma ideia de liberalismo, porém, com intervenções mínimas por parte do Estado que visam proteger interesses.

    Quero saber se estou errado, não aguento mais ser chamado de Keynes ou comunista. hahah

    Abraços meu caro.

  28. Gianluca Ferro says:

    Olá Ricardo, resposta muito esclarecedora e objetiva, muito obrigado pela paciência em sempre responder minhas questões, sou grande admirador do blog e digo que desde que conheci o blog já me atualizei bastante com relação ao mercado. Espero que o blog continue e sempre com os assuntos atuais. Abraços !

    Gianluca F.

  29. Julio Sampaio says:

    Parabéns pelo o blog Ricardo, gostaria de saber se você recomenda investimentos em opções binárias, apesar de não ter esse mercado aqui no brasil, me parece ser um bom investimento. o que você acha?

    • tradingcafe says:

      Oi Julio, as opções binárias são instrumentos legais, porém o mais importante a saber é em que ativo apostar? você está com idéia de entrar na bolsa lá fora? posso te dar umas dicas, sobretudo no direcional de mercado, é só avisar. abs obrigado

  30. eecontemporaneos says:

    Bem, Ricardo. Mandei uma e-mail para: ricardo@norfolkadvisors.com.
    Caso não encontre tempo para lê-lo, gostaria, ao menos, de registrar que minha gratidão pelo espaço. Dividir os conhecimento que tens com a generosidade com que fazes é típico dos grandes homens. Inspira. Parabéns e muita saúde!

  31. Antonio Jorge says:

    Boa tarde Ricardo,
    Descobri hoje o seu site e gostei bastante, quer pelo interesse e atualidade dos temas quer a forma da escrita bem acessivel.
    Eu gosto bastante de economia, mas confesso que as variações da moeda e os fatores variados que fazem com que ela oscile me fazem confusão, por exemplo o real tem de certa maneira de algum tempo a esta parte estado estavel dentro de um intervalo de 1.6, 1.7 dolares, porque de repente esta desvalorização acelarada do real? Na sua opinião é para continuar e por quanto tempo?

    Obrigado
    Antonio JOrge

  32. brunomauad says:

    Olá Ricardo, gostaria de lhe dar os parabéns pelo blog, muito bem estruturado e funcional. Estou sentindo falta de novos vídeos no YouTube, gostei da série ” Como ficar rico “.
    Um grande abraço de seu novo seguidor

    Bruno Mauad

  33. Antonio Douat says:

    Ola Ricardo,
    Tenho 16 anos e moro em Joinville, soube de voce pela minha mae que tem aula com o senhor na Sustentare, o nome dela e Maria Augusta Almeida Douat.
    Comecei a fazer uma simulacao pela internet na bolsa de valores, e nao vou nada bem.
    Gostaria de saber o fato de todas as empresas estarem em baixa, seria pela crise da Grecia?
    Att,
    Antonio

    • tradingcafe says:

      Oi Antonio, legal que vc me escreveu. A crise da Grécia tem sim um impacto negativo nos preços das ações, porém, a crise atual do sistema financeiro global, com focos identificados na divida dos países e seu poder de afetar e conaminar o sistema como um todo, impacta nos humores dos investidores. Como ninguém sabe o tamanho real do problema e quem sairá mais afetado por ele, faz com que os investidores busquem refugio em investimentos menos voláteis (com menor oscilação de preços). Assim sendo, os chamados Porto seguros que hoje são escassos atarem os investimentos e deixam a bolsa de valores. As empresas listadas sofrerão impactos em suas receitas, com uma recessão ou uma redução d atividades econômicas e assim, os preços são pressionados para baixo porque os retornos (Lucratividade e postior pagamentos de dividendos são incertos). Alem deste fato direto, a bolsa de galões de são Paulo tem uma grande participação de investidores estrangeiros, que são rápidos em reagir a qualquer sinal de risco aumentado. Assim, eles fogem do risco e levam o capital para fora do pais, causando inclusive, a alta no dólar que estamos vendo recentemente. Fiquei feliz com sua pergunta, sempre que quiser, estou pronto para responde-las, mande suas perguntas sempre. Quando quiser assistir minha aula, seja benvindo. Estarei em joinville daqui duas semanas. Abs Antonio.

  34. Carlos Diego Oliveira says:

    Boa noite senho Ricardo Torres.

    Não trabalho na area econômica.  Apenas uma pessoa interessada nessa área e na melhor maneira de fazer minhas economias renderem da melhor forma possível. 
    Venho tentando entender como funciona a aplicação no tesouro nacional. Porém não encontro uma explicação clara de como fazer isso, assim como, definir se o investimento vale a pena. Vale a pena procurar um banco para fazer investimento em fundos do tesouro nacional? Vale a pena investir em títulos que irão vencer depois de 10 anos?
     Ouvi falar de uma aplicação VGBL índice de preço. Essa opção é interessante?
    Investimento em imoveis, mesmo nos patanares atuais de preço ainda é um bom negócio? 

    Atenciosamente e obrigado pela atenção

  35. Leonardo Cordeiro says:

    Ricardo,
    Meu interesse sobre o mercado e a economia tem crescido com a leitura de seu blog e as primeiras aulas de AF no MBA da BBS.
    Parabéns pelo blog e pela carreira inspiradora.
    Abraços,

  36. César says:

    ótimo blogs. Iniciativa louvável.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s